Telhado Retrátil: 6 coisas que podem dar errado no seu projeto

Considerada uma solução visualmente interessante, especialmente por permitir a entrada de luz natural, o telhado retrátil é uma cobertura de alta complexidade.

Imagem ilustrativa de telhado retrátil

Quando não planejado e executado por profissionais experientes nesse tipo de cobertura, o projeto pode acabar trazendo diversos problemas aos ocupantes do imóvel, que vão desde a obrigatoriedade de manutenções frequentes até a necessidade de substituição total do telhado.

Para evitar que isso aconteça, é importante estar ciente dos problemas que podem ocorrer com a utilização do telhado retrátil antes de tomar a decisão de incluí-lo no seu projeto. Saiba mais!

Fatores a considerar antes de optar pelo telhado retrátil

Telha Transparente de Policarbonato Ondulclair da Onduline

Vidro, policarbonato ou lona: não importa o material da cobertura do telhado retrátil, é essencial considerar alguns aspectos para o sucesso do projeto. Saiba quais são eles:

1. Mão de obra

Para garantir a durabilidade da cobertura e a segurança dos ocupantes do imóvel, a utilização do telhado retrátil exige o envolvimento de profissionais experientes e com conhecimento técnico específico no detalhamento do projeto, na realização dos cálculos estruturais, que precisam levar em conta fatores como a ação do vento e o peso total que será apoiado sobre a estrutura, e também na execução da obra.

O cuidado no planejamento da estrutura é tão importante para o sucesso do projeto que, nas edificações de maior porte, a recomendação dos especialistas é de que a instalação seja precedida por protótipos de partes da estrutura.

Se por um lado a medida permite avaliar melhor a cobertura e todos os seus mecanismos, garantindo sua segurança, por outro essa etapa, fatalmente, incorre em gastos adicionais.

2. Sistema de abertura e fechamento do telhado retrátil

Além da atenção à estrutura, optar por uma cobertura retrátil também exige dimensionamento preciso do sistema de abertura e fechamento para evitar gastos com manutenções constantes ou a perda de funcionalidade dessa cobertura.

Nesse caso, o projeto precisa privilegiar a suavidade, evitando travamentos que podem causar estragos no interior do imóvel em caso de chuvas e outras intempéries.

Para alcançar esses objetivos, além de utilizar componentes de alta qualidade, é importante ficar atento ao ângulo de inclinação da cobertura — quanto menor ele for, maiores serão as chances de sucesso — e ao peso total do conjunto, especialmente em estruturas maiores, já que, se o peso for excessivo, há o risco de que os motores e sistemas instalados não tenham tração suficiente para fazer a movimentação necessária, inviabilizando todo o projeto.

3. Localização da edificação

Embora a localização litorânea da edificação não seja um impeditivo para o uso do telhado retrátil, é importante avaliar com calma a relação custo x benefício de fazer essa opção no projeto, especialmente em coberturas retráteis de médio e grande porte.

Isso porque, em geral, a estrutura é realizada com aço patinável, que é imune à corrosão, mas é preciso dar atenção especial às conexões, realizando o isolamento dos materiais com fitas especiais e utilizando parafusos de aço inoxidável.

 

Outra solução possível para esses casos é fazer a cobertura retrátil totalmente em aço inox, afastando permanentemente o risco de corrosão e oxidação. No entanto, o custo dessa alternativa é muito maior, uma vez que o inox pode custar até quatro vezes mais caro do que o aço comum.

4. Flexibilidade do projeto

Se o projeto para o qual você está considerando utilizar o telhado retrátil é daqueles que exige flexibilidade para mudanças eventuais, essa definitivamente não é a solução de cobertura ideal.

Isso porque, a estrutura do telhado retrátil dimensionada para utilização do policarbonato, por exemplo, é totalmente diferente daquela projetada para sustentar coberturas retráteis de vidro, uma vez que esse material é muito mais pesado.

Por isso, é impossível projetar e montar uma estrutura de telhado retrátil pensada para policarbonato e, durante a execução, decidir utilizar vidro sem que isso signifique mudanças de grande porte na estrutura e, consequentemente, desperdício de recursos.

5. Vedação do telhado retrátil

Caso o telhado retrátil seja desenvolvido com materiais como vidro ou chapas de policarbonato, para garantir total proteção dos ocupantes contra chuvas, ventos e outras intempéries, é ainda mais importante contar com mão de obra altamente especializada para garantir total estanqueidade.

Isso porque em um telhado retrátil, parte da cobertura deixa a posição estática para se deslocar em trilhos, o que exige a utilização de rufos e peças de conexão para evitar a entrada de água nos ambientes.

Além disso, os componentes de vedação precisam estar nas especificações corretas e devem ser de alta qualidade. Escovas de vedação de menor qualidade se desgastam rapidamente e podem prejudicar o funcionamento da cobertura.

Também é importante considerar que os problemas frequentes de estanqueidade nesse tipo de cobertura são, geralmente, provocados por juntas mal projetadas ou pela falta de manutenção adequada nos sistemas de vedação.

6. Escolha do material

Outro problema relacionado à opção do telhado retrátil como solução de cobertura diz respeito à escolha do material. Coberturas como as de lona, por exemplo, têm instalação mais simples, já que podem ser fixadas até mesmo sobre estruturas de madeira, mas oferecem proteção relativa contra a chuva e podem esquentar os ambientes, diminuindo sua eficiência energética.

Já os telhados retráteis que utilizam materiais que oferecem maior proteção, como o vidro, exigem estrutura muito mais robusta para garantir seu correto funcionamento, o que acaba impactando significativamente os custos do projeto quando comparado à cobertura de lona.

Por isso, ao considerar utilizar um telhado retrátil, é importante levar em conta quais são as necessidades do seu projeto e se elas podem ser atendidas com uma boa relação custo x benefício, evitando gastos desnecessários ou muito superiores ao inicialmente planejado.

Imagem ilustrativa de telhado retrátil

Como você pode ver, a tomada de decisão a respeito da cobertura ideal para o seu projeto deve ser feita de maneira criteriosa, levando em consideração pontos como a complexidade da instalação e a praticidade da solução. Dessa maneira, você evita gastos excessivos com manutenção do telhado e garante uma cobertura durável, prática e econômica!

Agora que você já sabe quais os aspectos que podem dar errado no seu projeto ao optar pelo telhado retrátil, aproveite para saber quais são as vantagens do uso da telha transparente em edificações que privilegiam o uso da luz natural!

4 Respostas
  1. Luiz Carlos silva

    Bem elucidativo. Gostaria de saber se vcs cobram com representantes e promotores para a área de Cascadura no RJ?

    1. Equipe Coberturas Leves

      Olá Luiz Carlos!

      Obrigado pelo elogio. Vamos repassar a sua dúvida para a área comercial da Onduline.

Deixe um comentário