Entenda mais sobre telhados embutidos

Os telhados embutidos são tendência em projetos residenciais, é verdade. Esse estilo de telhado vem ganhando a preferência de projetistas e arquitetos, por não deixar as telhas visíveis e conferir um estilo mais moderno à cobertura.

Embora os telhados embutidos estejam se popularizando no Brasil, esse tipo de cobertura exige alguns pontos de atenção. Continue lendo para entender os aspectos delicados acerca do telhado embutido.

Telhados embutidos: conheça os detalhes dessa cobertura

Conhecido também como telhado caixoteo telhado embutido é um tipo de cobertura que não deixa as telhas visíveis. As telhas ficam escondidas por paredes laterais de alturas variadas, também chamadas de platibandas, e praticamente são acomodadas na laje com uma inclinação mínima.

Existem diferentes técnicas, estilos e materiais para construir telhados embutidos. No entanto, nos projetos residenciais, as telhas de fibrocimento e metálicas são as mais utilizadas.

Se existe uma característica marcante nos telhados embutidos é justamente o seu design. Como é um estilo de telhado bem moderno, ele acaba sendo utilizado em projetos diferenciados, especialmente em casas de alto padrão.

Por ser um tipo de cobertura que utiliza telhas mais baratas, é percebido como uma opção financeiramente viável. Além disso, a construção de telhados embutidos é relativamente simples, uma vez que a inclinação necessária é pequena e essa cobertura não exige uma estrutura robusta.

Quais são as principais características dos telhados embutidos?

Estrutura

É uma das estruturas mais simples de telhado na construção civil. São relativamente leves, pois não necessitam de uma estrutura de sustentação acima do teto da casa. Como explicamos, os materiais utilizados são menos densos, como as telhas de fibrocimento. Em alguns casos, pode-se utilizar estruturas metálicas, como as ligas de galvalume.

Telhas

Como as telhas mais utilizadas são relativamente ruins para o isolamento térmico, geralmente pode ser necessário instalar um isolante térmico para melhorar o conforto no ambiente — especialmente em projetos residenciais. A instalação é muito simples e, geralmente, elas são encaixadas por meio de parafusamento.

Inclinação

A característica principal dos telhados embutidos é a inclinação que é 150º a 180º. Assim, é possível criar uma estrutura menor para tirar a visibilidade do telhado.

Tubos de queda

Para evitar o acúmulo de água no telhado e, assim, gerar infiltrações, é preciso instalar um bom sistema de vazão de água. Isso é possível com a utilização de tubos de queda bem dimensionados.

Quais os pontos positivos desse tipo de telhado?

O telhado embutido tem sido bastante utilizado, pois oferece muitas vantagens atrativas para os arquitetos e seus clientes:

Menos madeira e materiais são utilizados

Para criar telhados inclinados e outros modelos, é preciso criar uma estrutura de sustentação feita de madeira ou metal. Será nela que as telhas serão apoiadas e fixadas. No caso do telhado embutido, isso praticamente não é necessário e, portanto, menos material é gasto em cada projeto.

Estética

Todo mundo já está acostumado com os modelos tradicionais de telhado, então já passou da hora de dar uma inovada. Nesse sentido, o telhado embutido é bem interessante, pois não há muitas construções que seguem esse modelo. Isso cria uma diferenciação estética muito grande.

Manutenção mais fácil

Como não precisa de muitas telhas e vigas, a manutenção desse telhado é muito mais simples. Caso haja algum defeito na telha, bastará substituí-la e não há preocupação com cupins ou deterioração nas vigas de madeira.

Menor tempo de construção

Visto que não é necessário criar uma estrutura de sustentação muito grande, há muito menos trabalho, pois bastará encaixar e parafusar as telhas nas grades pré-moldadas.

Pontos negativos do telhado embutido

Os telhados embutidos podem ser bem interessantes para inúmeros projetos. No entanto, antes de optar por esse tipo de cobertura vale avaliar não apenas o design do telhado, mas também as desvantagens desse tipo de cobertura.

A construção civil e a arquitetura contam com diversas técnicas para diferentes tipos e estilos de projetos. Porém, mais do que a estética, a funcionalidade dos materiais e as características de cada tipo de cobertura devem ser levadas em consideração na hora de construir ou reformar. Se você anda considerando o telhado embutido como uma opção, vale a pena avaliar alguns aspectos. Confira!

1. Custo oculto

A maioria dos consumidores utiliza telhas de baixo custo, como as de fibrocimento, no telhado embutido. Naturalmente, a escolha por esse tipo de material tem como finalidade reduzir os gastos da obra. No entanto, mesmo economizando com as telhas, o telhado embutido gera outros custos como a construção das platibandas e das calhas, além das mantas térmicas, que são quase obrigatórias para esse tipo de cobertura.

Para quem busca uma cobertura barata, vale a pena pesquisar e avaliar bem se o telhado embutido é a melhor escolha. Afinal, ele demanda outros custos de construção que o tornam menos vantajoso do ponto de vista financeiro.

Nesse caso, escolher telhas que não sejam de fibrocimento é uma saída. Embora telhas de outros materiais custem um pouco mais, elas oferecem mais vantagens em termos de funcionalidade. A telha de fibra vegetal, por exemplo, pode ser uma alternativa para este tipo de cobertura.

2. Desconforto térmico

O conforto térmico não é apenas um detalhe no projeto e deve ser analisado com atenção. Como as telhas de fibrocimento são a escolha mais comum para construção do telhado embutido, é preciso tomar algumas medidas para que o conforto térmico não seja prejudicado. Nesses casos, é recomendado o uso de mantas térmicas para evitar o superaquecimento ou o excesso de frio nos ambientes internos. Uma boa alternativa é optar por telhas específicas, como as telhas térmicas, por exemplo.

3. Restrições de acesso

O telhado embutido não oferece acesso ao interior do telhado. Isso faz com que a manutenção da rede elétrica e outros procedimentos relacionados à cobertura sejam prejudicados.

Por ter pouquíssima inclinação, esse tipo de telhado também não permite nenhum aproveitamento da laje. A instalação de caixa d’água neste tipo de telhado também não é possível.

4. Necessidade de calhas e rufos

O projeto e a execução dos telhados embutidos não é algo que demanda grande complexidade. Porém, o sistema de calhas desse tipo de cobertura merece máxima atenção. Como os telhados embutidos não apresentam nenhum tipo de inclinação, é preciso projetar um sistema eficiente de escoamento de água para evitar problemas como vazamentos. A presença de rufos também é necessária nos telhados embutidos para evitar o excesso de umidade e até infiltrações na cobertura.

5. Necessidade de impermeabilização

Além do sistema de calhas e rufos, outro ponto que deve ser considerado para os telhados embutidos é a impermeabilização. Como o sistema de escoamento do telhado embutido é específico, é recomendável executar a impermeabilização da cobertura para evitar que a umidade gere problemas.

A etapa da impermeabilização deve ser executada antes do contrapiso e revestimento final. Isso porque, dependendo do tipo de impermeabilização, a estrutura do telhado pode ser sobrecarregada. Recomenda-se a escolha de um sistema de impermeabilização flexível, sem emendas ou juntas, para que o procedimento seja mais eficiente.

6. Manutenção frequente

Alguns tipos de telhado requerem mais manutenção do que outros. No caso do telhado embutido, justamente pela questão do escoamento de água, a manutenção deve ser periódica. Todas as falhas atreladas ao acumulo de água e umidade devem ser corrigidas o quanto antes, evitando que o problema se agrave na forma de vazamentos.

A manutenção, naturalmente, também traz um custo. Por isso, mais do que avaliar o orçamento do projeto, é preciso considerar os custos decorrentes do tipo de cobertura utilizado.

7. Uma questão de estilo

Por fim, para quem gosta de “casa com cara de casa” é importante avaliar bem o uso do telhado embutido. É certo que ele garante um estilo mais moderno de arquitetura. No entanto, para projetos residenciais, quando mal projetado, o visual chapado desse tipo de telhado pode deixar o imóvel com aspecto comercial.

Quais são os cuidados essenciais para esse tipo de telhado?

Fazer vistorias no local

As vistorias periódicas são essenciais para verificar a integridade das telhas, seu encaixe nas estruturas e verificar problemas que podem levar ao acúmulo de água e de resíduos.

Ter um bom sistema de impermeabilização e de prevenção de infiltração

Afinal, devido à elevação de uma parede para embutir o telhado, facilita-se a deposição de água. Então, um sistema de escoamento deve ser instalado para evitar que o represamento de líquidos acabe gerando infiltrações nas paredes e no teto.

Quais são as alternativas aos telhados embutidos?

Há outros vários tipos de telhado que podem substituir o embutido nos projetos. A seguir, falamos de algumas opções para ajudar na sua escolha:

  • telhado inclinado aparente: é o telhado mais tradicional, no qual toda a estrutura fica exposta e há uma inclinação maior;
  • mansarda: é o telhado que forma uma grande aresta aguda no topo em formato de V bem simétrico. É muito utilizado em projetos residenciais e necessita de uma boa estrutura de sustentação
  • salt: é outro modelo bem inovador, em que há também a formação de uma aresta aguda no topo, porém o “V” formado não é simétrico;
  • telhado curvo: são as estruturas arredondadas que estão sendo muito empregadas em projetos corporativos.

De maneira geral, esse tipo de telhado fica melhor ambientado em casas de condomínios fechados, ou mais isoladas. Em uma vizinhança residencial comum, o excesso de modernidade do telhado embutido pode trazer um destaque negativo para o imóvel.

Quer continuar recebendo as melhores dicas para os projetos de construção e de reformas de telhado? Então, não deixe de assinar nossa newsletter!

Deixe um comentário