Conheça os 16 principais tipos de telha do mercado!

O telhado de uma casa não serve apenas para proteger o ambiente interno da chuva e do frio. Escolher um entre os diversos tipos de telha pode afetar muitos aspectos da edificação, como o conforto térmico, a estrutura necessária para a cobertura, luminosidade e estética da sua casa.

Existem muitos materiais disponíveis no mercado, cada um com seu estilo e características específicos. Para acertar na decisão, é preciso saber quais são os modelos mais comuns e quais são as suas especificações.

Quer saber mais sobre os principais tipos de telha do mercado e quais são as suas principais características? Confira isso e muito mais neste artigo que preparamos para você. Boa leitura!

Principais tipos de telha existentes no mercado

Se você vai construir ou reformar o telhado, lembre-se que cada edificação apresenta um formato e conceito singular. Por esse motivo, as telhas devem ser escolhidas de modo a combinar com o restante da construção.

Algumas delas são ideais para lugares mais frios, enquanto outras podem proporcionar uma iluminação natural para ambientes fechados. Além disso, a inclinação do telhado também vai definir quais são os modelos de cobertura mais adequados. A seguir, confira os 16 principais tipos de telha disponíveis no mercado!

1. Telha de cerâmica

Comumente chamada de telha de barro, ela é uma das mais conhecidas no Brasil. Devido à sua grande popularidade, é muito fácil encontrá-la no mercado, com uma boa variedade de cores e modelos. Uma de suas maiores vantagens é o bom isolamento térmico, o que oferece conforto para os moradores, além de ser fácil de limpar e ter uma manutenção economicamente em conta.

No entanto, o modelo de cerâmica pesa aproximadamente 40 quilos por metro quadrado, o que exige uma boa estrutura de telhado para suportá-las. Para cobrir uma área de um metro quadrado, são necessárias em torno de 15 telhas.

Existem diversas versões de telha cerâmica e as mais comuns são a francesa, portuguesa, colonial, romana e plan. Veja quais são as principais características de cada uma delas:

  • francesa: conhecida também como telha Marselha, tem um relevo nas bordas que proporciona uma acomodação e fixação melhor entre as placas e, por esse motivo, é ideal para lugares com incidência de ventos fortes ou com telhados muito inclinados;
  • portuguesa: esse tipo é para aqueles que desejam ter uma residência com um telhado ondulado, pois uma de suas metades é arredondada;
  • telha colonial: apresenta um formato côncavo e os encaixes são feitos em fileiras, em que as peças são colocadas em posições invertidas, possibilitando um bom escoamento da água da chuva;
  • romana: é plana e proporciona um fácil encaixe. Além disso, é a que apresenta o preço mais baixo entre as cerâmicas;
  • plan: tem características parecidas com a colonial, mas apresenta um formato reto.

Apesar dos diferentes modelos, todas as telhas cerâmicas têm o mesmo comprimento de 23,5 cm, exceto a colonial e a plan, que têm a metade desse tamanho. A inclinação recomendada para um telhado com esse material é de 30%, no mínimo.

2. Telha de concreto

Esse é um dos estilos mais recentes no mercado e ainda pouco utilizado. Conhecida também como telha de cimento, apresenta um bom desempenho térmico e uma grande diversidade de cores e formatos. Ela pode ser colocada em telhados com inclinações que ultrapassem 35%, mas requer uma boa estrutura para suportá-la, devido ao seu peso.

Em geral, essas telhas são recomendadas para construções contemporâneas e para coberturas com alto declive. Por serem peças porosas, a manutenção deve ser feita, pelo menos, uma vez ao ano, além de ser recomendada a aplicação de uma resina que garante uma boa impermeabilização e evita a proliferação de mofo.

Além disso, é indicado que a pintura seja realizada com cores claras. Assim, é possível refletir os raios solares e, consequentemente, diminuir o acúmulo de calor a fim de proporcionar um ambiente interno com temperaturas confortáveis.

3. Telha esmaltada

As esmaltadas são telhas cerâmicas que receberam um acabamento diferente. Elas têm uma camada de cor que fornece uma durabilidade e resistência à infiltrações maiores para a de cobertura. Elas também apresentam uma variedade maior de tons e podem custar o dobro de uma versão comum.

4. Telha de vidro

Utilizadas para proporcionar a entrada de luz natural, essas peças têm formato semelhante ao das cerâmicas ou concreto. Isso acontece porque, geralmente, não é feito um telhado apenas com as telhas de vidro: elas são intercaladas com outras, para facilitar a entrada de luminosidade em ambientes escuros.

Além disso, em alguns casos, é comum instalá-las em varandas e outros cômodos externos. Contudo, esse modelo pode quebrar ou rachar com maior facilidade e precisa ser limpo constantemente para garantir a entrada de luz.

5. Telha translúcida

Assim como o modelo anterior, as telhas translúcidas oferecem mais iluminação natural ao local. Com os constantes aumentos nos valores das contas de energia, esse é um dos mais vantajosos. Dessa forma, você pode economizar o consumo de luz e ter um ambiente saudável.

Com a economia de energia, outra das grandes vantagens é a capacidade de proporcionar bem-estar aos usuários da edificação. A luz natural afeta o humor e a disposição dos moradores de forma positiva.

Além de ser utilizada em residências, elas podem ser instaladas em construções amplas, como galpões industriais, onde, muitas vezes, não é possível criar iluminação com janelas. Sendo assim, as telhas translúcidas podem gerar um aproveitamento de luz natural de até 90%.

Esse material é feito de resinas plásticas e reforçado com fibra de vidro. Por isso, ele pode ser moldado em diferentes formatos, que vai depender do gosto ou necessidade do consumidor. No mais, as translúcidas apresentam uma fina camada que protege o interior da edificação dos raios ultravioleta e garante o conforto térmico do ambiente.

6. Telha de fibra vegetal

Esse é uma das versões ecológicas disponíveis no mercado. Ela é feita de fibra de celulose, extraída de papel reciclado, recebe pigmentação e uma camada de resina, o que garante uma proteção e durabilidade maiores à peça. Como vantagem, além de sustentável, ela tem fácil instalação e é bastante resistente às intempéries.

7. Telha fotovoltaica

As telhas fotovoltaicas ainda são novidades no mercado brasileiro, mas vêm ganhando espaço entre os demais tipos de telhas. Elas são fabricadas em cerâmica, porém, apresentam um sistema fotovoltaico integrado na sua superfície, que gera energia com a conversão da luz solar em eletricidade.

Toda a fiação fica por baixo da cobertura e vai até o conversor. Por ter essa função de geração de energia, elas são mais caras que as comuns. Para produzir energia elétrica suficiente para uma família, devem ser instaladas cerca de 40 metros quadrados de células fotovoltaicas. Elas podem ser colocadas com as de materiais tradicionais.

8. Telha de PET

Como o nome já sugere, esse modelo é fabricado com garrafas PET. O seu principal benefício é o seu peso-leve, que é muito menor que de uma telha cerâmica. Isso é vantajoso, pois não requer uma estrutura de telhado reforçada. Mesmo sendo feita a partir de um material reciclado, as suas durabilidades e resistência são muito satisfatórias.

Além disso, elas são menos porosas que as de cerâmicas, reduzindo os riscos de infiltrações e mofos. Esse material de cobertura ainda pode ser encontrado na forma colorida ou translúcida.

9. Telha metálica

As telhas metálicas são duráveis, leves e resistentes. Elas podem ser fabricadas em aço, cobre, alumínio, ou uma liga de metais. A sua grande vantagem é a capacidade de vencer grandes vãos e, por esse motivo, são comumente utilizadas em construções industriais. No entanto, os modelos mais versáteis também podem ser utilizados em residências.

Confira, a seguir, os principais tipos de telha metálica e as suas principais diferenças.

Galvalume

A telha galvalume é composta por uma chapa de aço com revestimento de liga Al-Zn (alumínio e zinco), aplicada por meio de imersão à quente. Esse é um dos tipos metálicos mais resistentes à corrosão, devido a essa barreira formada pela liga.

Gravilhada

Esse modelo recebe um revestimento de rocha moída com acabamento cerâmico. Ele é comprado em placas e proporciona um bom conforto térmico para o interior da edificação, além de não absorver umidade e resistir às intempéries.

Existem três tipos de telhas gravilhadas: a romana, a francesa e a shake. A diferença está apenas no formato e inclinação necessários para o telhado, sendo constituídos dos mesmos materiais.

Todos eles são fixadas com parafusos, para dar melhor sustentação. No entanto, por serem feitos com produtos de qualidade elevada, o custo também é mais alto, sendo necessário um maior investimento.

Trapezoidal

Por fim, a telha metálica trapezoidal pode ser feita de alumínio ou aço moldado em formato de trapézio. Ela recebe uma proteção contra corrosão atmosférica, por meio do processo de galvanização, aumentando a sua durabilidade.

O formato trapezoidal permite que as coberturas construídas com esse material possam ter grandes vãos e, por esse motivo, elas são muito utilizadas em construções comerciais, escolas, entre outros.

Contudo, não há contraindicação para o seu uso em projetos residenciais. Por serem leves, a estrutura do telhado não precisa ser reforçada, além de facilitar e agilizar a instalação. É preciso ressaltar, no entanto, que elas podem se amassar facilmente, o que exige a troca de peças com maior frequência.

Além disso, as trapezoidais não proporcionam conforto acústico, pois ampliam os ruídos externos, como os da chuva. Para solucionar esse problema, podem ser colocados, junto às telhas, alguns materiais como mantas, isopor, forros, entre outros.

Uma outra desvantagem é o conforto térmico, pois o material tem baixa inércia térmica e transmite a temperatura externa com facilidade para o interior da edificação. Isso pode causar desconforto e aumentar os custos para climatizar o ambiente.

Porém, essa desvantagem pode ser revertida com a instalação de mantas térmicas que evitam que a temperatura da cobertura seja transmitida para o interior. Apenas não se esqueça de considerar essas soluções no custo total da sua obra.

10. Telha de policarbonato

As telhas de policarbonato são muito utilizadas em áreas externas e para criar entradas de luz natural em ambientes internos, como as telhas translúcidas e de vidro. A sua matéria-prima é resistente, leve e durável, além de apresentar uma proteção contra raios ultravioletas, que impede que as peças fiquem amarelas com o tempo.

Vale ressaltar que esse tipo de telha deve ser fixado por meio de perfis de alumínio e gaxetas de neoprene, pois o policarbonato é um material delicado. O armazenamento delas também deve ser feito em locais protegidos, até que sejam instaladas.

11. Telha de PVC

O modelo de PVC, também conhecido como telha plástica, tem uma aparência muito semelhante à de cerâmica, podendo ser confundidos em alguns casos. Ele é feito com um material plástico de boa resistência e é fácil de instalar justamente por ser agrupado em grandes placas.

Entretanto, a desvantagem dessa cobertura é a falta de isolamento térmico, pois o plástico transmite muito calor entre os ambientes externo e interno. Além disso, o acabamento, que objetiva imitar o visual cerâmico, pode não ser tão interessante. Sendo assim, avalie bem as opções para não se decepcionar com o aspecto final.

12. Telha shingle

Comumente utilizado e visto em casas americanas, é bastante resistente às intempéries como chuvas e ventos fortes. Essas peças são fabricadas com massa asfáltica e podem ser instaladas em telhados com grande inclinação.

Além disso, as shingles exigem pouca manutenção e podem ser adquiridas em várias cores. Por não serem muito utilizadas no Brasil, pode ser que elas sejam encontradas em um preço mais elevado, principalmente se comparadas às cerâmicas ou fibrocimento, por exemplo.

13. Telha de fibrocimento

Esse é um dos mais populares, chamados também de Brasilit ou Eternit. Foram criados para substituir as peças produzidas em amianto, um material cancerígeno muito perigoso. O formato mais usual é ondulado, mas podem ser encontrados alguns modelos semelhantes ao estilo da telha cerâmica.

As vantagens da telha de fibrocimento são o seu peso leve, sua durabilidade e o seu preço acessível. Além disso, elas podem ser instaladas em coberturas com inclinações a partir de 15%, sem que haja uma estrutura muito reforçada.

Contudo, é preciso ressaltar que elas apresentam alta absorção de calor, o que pode elevar a conta de luz para climatizar o ambiente interno. Para amenizar essa situação, podem ser colocados forros ou lajes sob o telhado.

14. Telha de ardósia

A ardósia é uma rocha que tem argila ou cinzas vulcânicas na sua composição. Além de ser utilizado nos telhados, esse material pode servir de revestimento em fachadas, paredes, pisos, objetos de decoração, entre outros. As telhas de ardósia podem ter coloração cinza, verde, ferrugem, preta e roxa, mas a mais encontrada no Brasil é a primeira.

As principais vantagens dessa versão são a sua vida útil longa e a grande resistência aos ventos fortes. Além disso, a manutenção e limpeza são mais fáceis do que em materiais comuns. No entanto, ela é mais cara e requer uma mão de obra especializada para fazer a instalação. Afinal, deve ser colocada em uma estrutura de telhado reforçada, devido ao seu peso elevado.

15. Telha sanduíche

Conhecida também como telha termoacústica, a versão sanduíche proporciona um ótimo isolamento acústico e térmico no interior da edificação. Isso é proporcionado pelo isopor ou lã de rocha, colocado entre duas chapas metálicas de aço galvanizado. Por esse motivo, ela foi nomeada assim.

O material isolante deve ser projetado de acordo com o grau de isolamento necessário, sendo a espessura de 30 milímetros a mais comum. Dessa maneira, os gastos com controle de temperatura são reduzidos, uma das maiores vantagens desse modelo. Veja outros benefícios da telha sanduíche:

  • retardam a ação de chamas;
  • têm fácil instalação;
  • não absorvem de água.

16. Telha ecológica Onduline

As telhas ecológicas Onduline são produtos inovadores, com formato ondulado inspirado no modelo mediterrâneo. A colocação dessa cobertura é facilitada pela presença de marcas que indicam os locais de instalação e encaixe, ideal para um telhado bem-acabado.

Veja quais são as principais características das telhas ecológicas Onduline.

Pigmentação de alta qualidade

Essas peças são desenvolvidas com PPHR, uma tecnologia exclusiva de pré-pigmentação que garante uma maior durabilidade da cor, em ambos os lados de uma telha.

Durabilidade

Por ser impermeabilizada com betume e resina, a telha Onduline não retém umidade, o que inibe a proliferação de fungos e evita a criação de limo no telhado. A sua vida útil é de aproximadamente 25 anos, com 15 anos de garantia, se for impermeabilizada.

Baixa absorção

As peças sustentáveis da Onduline têm uma absorção de água menor que 1%. Por isso, elas permitem construir uma cobertura permanentemente leve, que não aumenta de peso por causa das chuvas, nem sobrecarrega a estrutura do telhado — diferentemente das telhas cerâmicas e de fibrocimento, que aumentam até 30% do seu peso quando estão molhadas.

Fácil instalação

Com um exclusivo sistema de marcação que orienta a sobreposição, a vedação, o espaçamento e a fixação dos elementos de suporte na telha, a sua instalação fica mais intuitiva, o que proporciona uma cobertura perfeita e livre de erros.

Resistente às intempéries

Apesar de ser muito mais leve que outras opções mais comuns, as versões ecológicas são capazes de resistir a ventos que ultrapassam os 250 quilômetros por hora, de acordo com resultados comprovados por ensaios em túnel de vento.

Conforto térmico

Esse material garante ambientes interiores até 2º C mais frios que aqueles construídos com telhados de fibrocimento, proporcionando um conforto térmico muito mais eficaz e que pode diminuir o uso do ar-condicionado ou outros meios de controle da temperatura.

Sustentável

Por fim, uma das grandes características das peças ecológicas é a sua Certificação de Sustentabilidade EDP, o que comprova a sua fabricação com mais de 50% em material reciclado. Além disso, elas ajudam na obtenção de Green Ratings em projetos sustentáveis.

Escolhendo a telha ideal

Depois de conhecer os principais estilos de telha disponíveis no mercado, é importante também saber o que é fundamental considerar a fim de escolher o modelo mais adequado às suas necessidades. Confira mais, a seguir!

Pense na inclinação do telhado

Um dos pontos principais na escolha da telha certa é a sua inclinação da cobertura. Mesmo nas construções mais modernas, os telhados que ficam escondidos pelas platibandas têm algum caimento. Por isso, a medição deve ser feita de maneira correta, para verificar quais são os modelos mais adequados. Por exemplo, os itens de fibrocimento precisam de uma declividade de 15%, no mínimo. Já os de cerâmica e concreto requerem entre 30% e 36%.

Sendo assim, escolher o modelo certo entre os tipos de telha vai garantir uma boa vedação e fixação das peças no telhado. Para facilitar a sua procura, saiba que quanto menor for a telha, maior será o ângulo de inclinação recomendado para a cobertura.

Nos casos em que a inclinação é maior do que o recomendado para determinado tipo de telha, é possível amarrar as peças na estrutura. Contudo, vale ressaltar que essa amarração deve ser feita com produtos adequados, resistentes à corrosão e colocados da maneira correta, para evitar o deslocamento das peças.

Considere o estilo da construção

Além dos detalhes técnicos e executivos, a escolha entre um dos modelos vai depender do estilo da construção e de sua localização. Isso porque algumas telhas não são recomendadas para locais com muita chuva, por exemplo, pois podem se danificar com facilidade e facilitar infiltrações no ambiente. No mais, é importante harmonizá-las com outros itens da casa, como a pintura, a fim de que não fique algo destoante.

Procure sempre por bons fornecedores

Por fim, é importante selecionar um bom fornecedor para adquirir as telhas de sua escolha. Isso vai influenciar na vida útil do seu produto e na qualidade das peças, além da agilidade de instalação. Por esse motivo, sempre procure por empresas especializadas e que já tenham um bom reconhecimento no mercado. Confira, ainda, se a loja fornece os estilos que você deseja e qual é o nível de satisfação dos clientes que realizaram compras anteriores.

Fazer uma boa escolha dos tipos de telha para a cobertura da sua residência vai garantir um telhado resistente às intempéries e infiltrações. Por esse motivo, prefira materiais fortes, mas que se adaptam ao estilo da sua casa e ao seu orçamento.

Gostou de ler o nosso artigo sobre os principais tipos de telha do mercado? Então não perca tempo e assine a nossa newsletter para receber mais conteúdos como este na sua caixa de entrada!

Leave a Reply

Posts mais populares

Confira agora 5 dicas práticas sobre como limpar telhado
18/11/2019
Veja como funciona a captação de água da chuva
14/11/2019
Como consertar o telhado? Veja pequenos reparos que podem ser feitos
01/11/2019
 6 ferramentas essenciais para ajudar nas obras
31/10/2019
8 cuidados de como andar no telhado com segurança
30/10/2019

Text Widget

Nulla vitae elit libero, a pharetra augue. Nulla vitae elit libero, a pharetra augue. Nulla vitae elit libero, a pharetra augue. Donec sed odio dui. Etiam porta sem malesuada.