7 pontos negativos dos telhados embutidos

As casas com telhado embutido são tendências em projetos residenciais, é verdade. Esse estilo de telhado vem ganhando a preferência de projetistas e arquitetos, por não deixar as telhas visíveis e conferir um estilo mais moderno à cobertura.

Embora os telhados embutidos estejam se popularizando no Brasil, esse tipo de cobertura exige alguns pontos de atenção. Continue lendo para entender os aspectos delicados acerca das casas com telhado embutido.

Telhados embutidos: conheça os detalhes dessa cobertura

Conhecido também como telhado caixote, o modelo embutido é um tipo de cobertura que não deixa as telhas visíveis. As telhas ficam escondidas por paredes laterais de alturas variadas, também chamadas de platibandas, e praticamente são acomodadas na laje com uma inclinação mínima.

Existem diferentes técnicas, estilos e materiais para construir telhados embutidos. No entanto, nos projetos residenciais, as telhas de fibrocimento e metálicas são as mais utilizadas.

Se existe uma característica marcante nos telhados embutidos é justamente o seu design. Como é um estilo de telhado bem moderno, ele acaba sendo utilizado em projetos diferenciados, especialmente em casas de alto padrão.

Por ser um tipo de cobertura que utiliza telhas mais baratas, é percebido como uma opção financeiramente viável. Além disso, a construção de telhados embutidos é relativamente simples, uma vez que a inclinação necessária é pequena e essa cobertura não exige uma estrutura robusta.

Pontos negativos do telhado embutido

Os telhados embutidos podem ser bem interessantes para inúmeros projetos. No entanto, antes de optar por esse tipo de cobertura, vale avaliar não apenas o design do telhado, mas, também, as desvantagens desse tipo de cobertura.

A construção civil e a arquitetura contam com diversas técnicas para diferentes tipos e estilos de projetos. Porém, mais do que a estética, a funcionalidade dos materiais e as características de cada tipo de cobertura devem ser levadas em consideração na hora de construir ou reformar.

Se você anda considerando a sua casa com telhado embutido como uma opção, vale a pena avaliar alguns aspectos:

1. Custo oculto

A maioria dos consumidores utiliza telhas de baixo custo, como as de fibrocimento, nas casas com telhado embutido. Naturalmente, a escolha por esse tipo de material tem como finalidade reduzir os gastos da obra. No entanto, mesmo economizando com as telhas, esse modelo gera outros custos como a construção das platibandas e das calhas, além das mantas térmicas, que são quase obrigatórias para esse tipo de cobertura.

Para quem busca uma cobertura barata, vale a pena pesquisar e avaliar bem se uma casa com telhado embutido é a melhor escolha. Afinal, ele demanda outros custos de construção que o tornam menos vantajoso do ponto de vista financeiro.

Nesse caso, escolher telhas que não sejam de fibrocimento é uma saída. Embora telhas de outros materiais custem um pouco mais, elas oferecem mais vantagens em termos de funcionalidade. A telha de fibra vegetal, por exemplo, pode ser uma alternativa para este tipo de cobertura.

2. Desconforto térmico

O conforto térmico não é apenas um detalhe no projeto e deve ser analisado com atenção. Como as telhas de fibrocimento são a escolha mais comum para construção de casas com telhado embutido, é preciso tomar algumas medidas para que o conforto térmico não seja prejudicado.

Nesses casos, é recomendado o uso de mantas térmicas para evitar o superaquecimento ou o excesso de frio nos ambientes internos.

Uma boa alternativa é optar por telhas específicas, como as telhas térmicas, por exemplo.

3. Restrições de acesso

As casas com telhado embutido não oferecem acesso ao interior da estrutura. Isso faz com que a manutenção da rede elétrica e outros procedimentos relacionados à cobertura sejam prejudicados.

Por ter pouquíssima inclinação, esse tipo de telhado também não permite nenhum aproveitamento da laje. A instalação de caixa d’água neste tipo de telhado também não é possível.

4. Necessidade de calhas e rufos

O projeto e a execução dos telhados embutidos não é algo que demanda grande complexidade. Porém, o sistema de calhas desse tipo de cobertura merece máxima atenção. Como os telhados embutidos não apresentam nenhum tipo de inclinação, é preciso projetar um sistema eficiente de escoamento de água para evitar problemas como vazamentos.

A presença de rufos também é necessária nos telhados embutidos para evitar o excesso de umidade e até infiltrações na cobertura.

5. Necessidade de impermeabilização

Além do sistema de calhas e rufos, outro ponto que deve ser considerado para os telhados embutidos é a impermeabilização. Como o sistema de escoamento do telhado embutido é específico, é recomendável executar a impermeabilização da cobertura para evitar que a umidade gere problemas.

A etapa da impermeabilização deve ser executada antes do contrapiso e revestimento final. Isso porque, dependendo do tipo de impermeabilização, a estrutura do telhado pode ser sobrecarregada. Recomenda-se a escolha de um sistema de impermeabilização flexível, sem emendas ou juntas, para que o procedimento seja mais eficiente.

6. Manutenção frequente

Alguns tipos de telhado requerem mais manutenção do que outros. No caso do telhado embutido, justamente pela questão do escoamento de água, a manutenção deve ser periódica. Todas as falhas atreladas ao acumulo de água e umidade devem ser corrigidas o quanto antes, evitando que o problema se agrave na forma de vazamentos.

A manutenção, naturalmente, também traz um custo. Por isso, mais do que avaliar o orçamento do projeto, é preciso considerar os custos decorrentes do tipo de cobertura utilizado.

7. Uma questão de estilo

E, por fim, para quem gosta de “casa com cara de casa” é importante avaliar bem o uso do telhado embutido. É certo que ele garante um estilo mais moderno de arquitetura. No entanto, para projetos residenciais, quando mal projetado, o visual chapado desse tipo de telhado pode deixar o imóvel com aspecto comercial.

Quais são as alternativas mais vantajosas?

Agora que você conheceu os principais pontos negativos das casas com telhado embutido, é preciso entender que existem alternativas funcionais para o seu projeto. Assim, há formas de baratear os custos da obra, valorizar a iluminação natural, melhorar o conforto térmico dos ambientes e muito mais.

Pensando nisso, separamos para você 3 alternativas para a sua cobertura!

1. Cerâmica

O modelo de telhas de cerâmica são um dos mais comuns no mercado. Elas são feitas de barro e são capazes de deixar os imóveis com um aspecto mais rústico e encantador. Existem diversos tipos diferentes, com as mais utilizadas sendo: francesa, portuguesa, romana, colonial e plan.

Elas são utilizadas para construir um telhado aparente, com uma grande diferença das casas com telhado embutido. Assim, é possível ter um visual mais tradicional e bastante resistente, inclusive ao tempo. Além disso, esse modelo apresenta um ótimo custo-benefício, sendo extremamente acessível.

Esse tipo de telha pesa aproximadamente 40 Kg por metro quadrado, exigindo em média, entre 13 a 15 unidades para compor esse espaço. Apesar de existirem diversos modelos de telhas de cerâmica, todas elas têm o mesmo comprimento de 23,5 cm, com exceção da colonial e plan, que têm a metade desse tamanho.

2. Ecológica

As telhas ecológicas são a alternativa ideal para quem quer realizar um projeto sustentável. Além disso, esse material é a melhor opção para quem quer gastar menos em sua obra. Acontece que esse produto é muito mais leve que os demais encontrados no mercado, pesando apenas 3,4 Kg por metro quadrado. Esse valor chega a ser 12 vezes menor que as das telhas de cerâmica e até 4 vezes inferior que as de fibrocimento.

Por causa da sua leveza, não é necessário investir em uma estrutura robusta, já que o seu peso não demanda tanto madeiramento para suportar as telhas. Além disso, por causa da sua baixa absorção da água de chuva, ela mantém praticamente o seu peso original, evitando sobrecargas na cobertura.

Outro ponto importante que esse material tem em relação aos telhados embutidos é a necessidade de uma mão de obra menor. Por causa do seu peso, é possível realizar o processo com 2 ou 3 pessoas apenas, reduzindo os gastos durante a obra.

Também, as telhas ecológicas são ideais para proporcionar maior conforto térmico nos ambientes internos. Elas são até 2º C mais frias quando comparadas com outros materiais. Além disso, elas esfriam mais rápido durante a noite.

3. Translúcida

Esse modelo de telha é uma ótima opção para quem deseja valorizar a luz natural nos ambientes internos do seu imóvel. Assim, é possível garantir maior sustentabilidade em sua casa, reduzindo os gastos com energia elétrica.

As telhas translúcidas são capazes de aproveitar até 90% da luz natural, possibilitando clarear ambientes que a instalação de janela fica inviabilizada. Esse material é composto de resina plástica e reforçado com fibras de vidro.

Por isso, ele pode ser moldado em diversos formatos diferentes. Além disso, as telhas translúcidas são praticamente inquebráveis, sendo 200 vezes mais resistente que o vidro e 50 vezes mais que o acrílico. Esse material também é bem resistente, capaz de suportar as intempéries com muita eficiência.

De maneira geral, esse tipo de telhado fica mais bem ambientado em casas de condomínios fechados, ou mais isoladas. Em uma vizinhança residencial comum, o excesso de modernidade das casas com telhado embutido pode trazer um destaque negativo para o imóvel.

Agora que você já conhece alguns pontos negativos dos telhados embutidos e quais são as melhores alternativas, veja algumas dicas para calcular o custo total do telhado e não estourar o orçamento.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.